fbpx
Connect with us

Mundo

Referendo sobre anexação do Essequibo na Venezuela encerra após prorrogação de prazo

Publicado

em

consulta popular, plebiscito, votação
Entenda melhor o conflito entre Venezuela e Guiana Mapa mostra a Guiana e a região de Essequibo — Foto: Vitoria Coelho/g1 Homem caminha diante de muro com mensagem reivindicado a região guianesa de Essequibo como venezuelana, em Caracas, em 29 de novembro de 2023. — Foto: Matias Delacroix/ AP

Disputa da Venezuela por Essequibo, região rica em hidrocarbonetos que representa 70% do território da Guiana e ação para anexação.

Neste domingo (3), os eleitores venezuelanos participaram de um referendo para decidir sobre a província de Essequibo, território reivindicado pela Venezuela desde 1841 e rico em hidrocarbonetos.

A votação, que teve início às 6h locais (7h, em Brasília) e inicialmente iria até às 18h (19h, em Brasília), foi prorrogada pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do país até as 20h no horário local (21h, em Brasília). Os resultados do referendo devem ser divulgados nos próximos dias, após a contagem dos votos.

Venezuela realiza referendo entre tensões com a Guiana

Foram convocados a votar 20,7 milhões de venezuelanos, de uma população de quase 30 milhões, no referendo que tem como pauta o território rico em hidrocarbonetos de Essequibo. Os resultados devem ser divulgados ainda nesta segunda-feira (4). O referendo é uma consulta popular que, diferentemente de um plebiscito ou votação, não possui um número mínimo de votos para aprovação. Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, tem incentivado os eleitores a aprovarem o referendo de 5 perguntas. Já a Guiana considera a votação como um passo rumo à anexação do território disputado.

Origem da disputa por Essequibo

O território de Essequibo está sob controle da Guiana desde o fim do século 19, mas é reivindicado pela Venezuela. A região representa 70% do território guianense e é lar de 125 mil pessoas. Conhecida como Guiana Essequiba na Venezuela, a área é rica em petróleo, com a descoberta de reservas significativas em 2015, especialmente em regiões offshore. A Guiana baseia sua reivindicação sobre um laudo de 1899, feito em Paris, que estabeleceu as fronteiras atuais, enquanto a Venezuela alega que um acordo firmado em 1966 com o Reino Unido estabeleceu bases para uma solução negociada da disputa.

Patrocinado

O referendo foi organizado pelo regime de Nicolás Maduro e, agendado para este domingo (3), aborda questões cruciais, como a rejeição da fronteira atual, o apoio ao Acordo de Genebra de 1966, entre outras, e a expectativa é que tenha um forte impacto tanto na política local quanto na relação com a Guiana.

Disputa por Essequibo gera tensões na Venezuela

A votação em torno da anexação de Essequibo é muito mais do que uma questão local. A descoberta do petróleo na região agravou a disputa, alegando a Venezuela que a Guiana estaria comercializando blocos que não têm posse legítima. A situação política na Venezuela também é um fator crucial, com a expectativa de melhora econômica, enquanto os EUA impõem sanções e condicionam sua retirada à realização de eleições limpas em 2024.

Intervenção internacional na disputa entre Venezuela e Guiana

A Corte Internacional de Justiça decidiu na sexta-feira que a Venezuela não pode tentar anexar Essequibo e que isso vale para a votação. A Guiana havia pedido que a corte emitisse uma medida de emergência para interromper a votação na Venezuela. A organização afirmou que tem legitimidade para tomar decisões sobre a disputa, mas a resolução final pode levar anos.

Postura do governo brasileiro

O governo brasileiro tem acompanhado com preocupação a situação, tendo estabelecido diálogo tanto com a Venezuela quanto com a Guiana. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou o embaixador Celso Amorim a Caracas, após avaliação de que a campanha venezuelana sobre a anexação do Essequibo teria subido demais o tom. O governo brasileiro prefere acreditar que a Venezuela não tomará medidas extremas, além de esperar que o referendo termine com um ‘sim’ pela anexação.

Patrocinado

Fonte: G1 – Mundo

"Notícias 24h" é a assinatura que garante a integridade e a vigilância incansável do portal BR HOJE, um bastião do jornalismo imparcial e de qualidade desde 2023. Encarnando o espírito de um Brasil autêntico e multifacetado, "Notícias 24h" entrega reportagens exclusivas e análises profundas, comprometendo-se com a verdade sem concessões. Através de uma cobertura 24 horas por dia, esse autor simbólico tornou-se sinônimo de confiabilidade em um mundo saturado de informações duvidosas, assegurando que os leitores do brhoje.com.br tenham acesso a um conteúdo que é tão corajoso e vibrante quanto a nação que busca representar.

Continue Reading
Patrocinado
Comentários