fbpx
Connect with us

Mundo

Sabatina na CCJ do Senado promete sessão longa e tensa com foco em Gonet e Dino

Publicado

em

entrevista, avaliação, votação
Presidente da CCJ, Alcolumbre marca sabatina de Dino e Gonet no Senado para o mesmo dia - Todos os direitos: G1

Sabatina com início previsto para às 9h de quarta-feira (13) será simultânea e incluirá votação secreta.

A CCJ do Senado está prestes a realizar uma importante sabatina dos indicados de Lula para o STF, Flávio Dino, e PGR, Paulo Gonet. Eles vão passar por um rigoroso processo onde responderão a perguntas dos senadores na CCJ e, em seguida, enfrentarão a votação secreta no colegiado e no plenário do Senado.

A entrevista desses indicados será um momento crucial para a avaliação de suas competências e idoneidade para ocupar os cargos. A votação que se seguirá determinará o destino desses nomes tão importantes para a Justiça do país.

.

Planejamento Estratégico para as Sabatinas de Dino e Gonet

As indicações aprovadas ou não na CCJ terão que passar por votação secreta no plenário do Senado, com um mínimo de 41 votos favoráveis para cada nome.

A menos de 24 horas da sabatina, o governo tomou a decisão de exonerar ministros com mandato no Senado, visando fortalecer a base de votos.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado vai realizar a sabatina simultânea na manhã desta quarta-feira (13), às 9h, dos indicados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para os cargos de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio Dino, e procurador-geral da República, Paulo Gonet.

Essa etapa formal, a sabatina, precede a votação das indicações no colegiado, onde são necessários os votos ‘sim’ da metade dos presentes, em votação secreta. Posteriormente, os nomes, aprovados ou não, ainda terão que ser submetidos à votação no plenário principal do Senado, o que deve ocorrer ainda nesta quarta-feira.

Durante essa fase, também em votação secreta, as indicações precisarão de, no mínimo, 41 votos favoráveis. Aprovados, Dino e Gonet estarão prontos para serem oficialmente nomeados aos cargos pelo presidente Lula. Após a posse, Flávio Dino substituirá a ministra aposentada do STF Rosa Weber; e Paulo Gonet, o ex-PGR Augusto Aras.

Às vésperas da sabatina, senadores alinhados ao Planalto e da oposição a Lula têm avaliado que a reunião poderá ser longa e com momentos de embates, em especial com o atual ministro da Justiça, Flávio Dino.

Ao longo do primeiro ano à frente da pasta, Dino se tornou o alvo central da oposição no Congresso. Classificado como polêmico e ‘debochado’ por oposicionistas, ele foi repetidamente convidado e convocado para audiências públicas na Câmara e no Senado, além de ter sofrido ataques públicos de deputados e senadores.

Campanha de Dino e Gonet para Angariar Votos

Em pouco mais de duas semanas de campanha, Flávio Dino tem percorrido gabinetes de senadores em busca de apoio. Em algumas oportunidades, manteve contato via telefone com parlamentares, como foi o caso da senadora Soraya Thronicke (Podemos-MS). Disse, ainda, que em todos os casos foi recebido com cordialidade.

Nas conversas junto aos senadores, o ainda ministro da Justiça repetiu que não terá lado político se assumir uma cadeira no Supremo.

A 24 horas da sabatina, Flávio Dino esteve com parlamentares que se declararam publicamente contrários à sua indicação, como Plínio Valério (PSDB-AM). Ele também se reuniu com as bancadas do PSD e do MDB na Casa.

Perfil e Trajetória de Dino e Gonet

Flávio Dino de Castro e Costa tem 55 anos, é advogado, ex-juiz, professor e político. Foi juiz federal entre 1994 e 2006 e na carreira política, foi deputado federal, governador do Maranhão por dois mandatos e eleito senador em 2022.

Como ministro de Lula, Dino teve de enfrentar episódios como os atos golpistas de 8 de janeiro, a federalização das investigações do caso Marielle Franco e a decretação de uma Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para reforçar a segurança pública no Rio de Janeiro.

Ao longo dos últimos dias, o subprocurador-geral da República Paulo Gonet também se reuniu com senadores para angariar votos.

Coadjuvante da campanha de Dino, Gonet não enfrentou, por parte de senadores, críticas ou declarações públicas contrárias à sua indicação. Pelo contrário. Quase a totalidade dos parlamentares que se reuniram com o candidato à chefia da PGR destacaram não ter objeção ao nome.

Paulo Gonet é, hoje, um dos mais de 70 subprocuradores-gerais da República que compõem a cúpula do Ministério Público Federal.

Gonet atua desde julho de 2021 como o vice-procurador-geral eleitoral e na função, assinou o parecer que defendeu tornar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível, no âmbito da ação em que o político do PL foi acusado de abuso de poder político e uso indevido de meios de comunicação. Em julgamento em junho deste ano, a Corte Eleitoral aplicou a inelegibilidade a Bolsonaro.

Fonte: G1 – SP

"Notícias 24h" é a assinatura que garante a integridade e a vigilância incansável do portal BR HOJE, um bastião do jornalismo imparcial e de qualidade desde 2023. Encarnando o espírito de um Brasil autêntico e multifacetado, "Notícias 24h" entrega reportagens exclusivas e análises profundas, comprometendo-se com a verdade sem concessões. Através de uma cobertura 24 horas por dia, esse autor simbólico tornou-se sinônimo de confiabilidade em um mundo saturado de informações duvidosas, assegurando que os leitores do brhoje.com.br tenham acesso a um conteúdo que é tão corajoso e vibrante quanto a nação que busca representar.

Continue Reading
Comentários