fbpx
Connect with us

Mundo

Apple e Google podem repassar notificações do seu celular para governos: saiba como isso funciona e o que isso significa para sua privacidade.

Publicado

em

mensagens, alertas, avisos
Notificações no iPhone — Foto: Divulgação/Apple Apple e Google — Foto: Reuters/Mike Segar/Andrew Kelly Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Nova York realiza primeiros testes com "carros voadores" - Todos os direitos: G1

Empresas compartilham alertas de apps com autoridades, incluindo dados sensíveis. Potencial comprometimento da privacidade dos usuários.

A Apple e o Google reconheceram que há a possibilidade de libertação de repassarem informações sobre notificações enviadas aos dispositivos móveis dos usuários para governos. Esse fato veio à tona depois que um senador dos Estados Unidos questionou as empresas a respeito de uma denúncia feita em 2023.

A comunicação entre aplicativos e usuários, por meio das notificações, pode ser interceptada pelas empresas através de um serviço postal criado para organizar o envio dessas mesmas notificações.

Essa questão levanta preocupações sobre a segurança da comunicação via mensagens e avisos no mundo digital. As notificações enviadas aos celulares dos usuários podem ser acessadas por governos, o que coloca em xeque a privacidade e a segurança das informações transmitidas.

Notificações: Como elas podem comprometer sua privacidade

Patrocinado

Isso se tornou uma grande preocupação dos usuários de aplicativos, uma vez que mensagens sensíveis e dados pessoais podem ser interceptados através das notificações. Um senador americano está investigando essa possibilidade desde 2022, um fato que apenas recentemente foi admitido pelas empresas em uma reportagem da agência Reuters.

Segundo Wyden, governos podem ter acesso a informações não criptografadas, incluindo instruções no código do aplicativo e o conteúdo real das notificações, representando um potencial comprometimento da privacidade dos usuários. Além disso, metadados também podem ser acessados através das notificações, revelando informações como remetente, destinatário e horário de envio, bem como detalhes do dispositivo usado.

A Apple e o Google já haviam admitido anteriormente a possibilidade de compartilhamento de informações com governos, tanto de dispositivos quanto de serviços como iCloud e Apple Pay (no caso da Apple), e de aplicativos como Gmail e YouTube (no caso do Google).

Senador Ron Wyden e a investigação sobre notificações

Patrocinado
  • 📲 Ron Wyden recebeu denúncias de pedidos de registros de notificações, ainda em 2022;
  • 🚫 Foi informado que o acesso às informações detalhadas foi proibido pelo governo dos EUA;
  • 👍 O senador solicitou autorização para as empresas informarem sobre o compartilhamento das notificações;
  • ✍️ A Reuters publicou uma reportagem confirmando o compartilhamento;
  • 📝 A Apple atualizará os relatórios de transparência;
  • 🤝 O Google compartilha o compromisso de manter os usuários informados.

Uma fonte revelou que o governo dos EUA fez solicitações de dados sobre notificações, assim como outros países não divulgados. O Departamento de Justiça dos EUA se recusou a comentar sobre a vigilância das notificações ou a suposta proibição de divulgação dos pedidos feita às empresas.

Como as notificações funcionam?

Ao enviar uma notificação, o aplicativo utiliza um serviço postal, como o Push Notification Service da Apple e o Firebase Cloud Messaging do Google. Esse processo, que garante a entrega eficiente das notificações, também possibilita que as empresas atuem como intermediárias no repasse de informações.

Segundo Wyden, Apple e Google fazem a entrega das notificações e, portanto, podem ser secretamente obrigadas a repassar informações para os governos.

A posição de Apple e Google sobre o compartilhamento de notificações

A Apple informou que o governo dos EUA lhe proibiu de compartilhar informações sobre as notificações. A empresa revelou que atualizará os relatórios de transparência e as diretrizes sobre processos jurídicos para esclarecer sobre o compartilhamento de notificações.

Patrocinado

O Google, por sua vez, compartilha relatórios de transparência, incluindo solicitações de dados relacionadas às notificações, em um esforço para manter os usuários informados. Entretanto, não detalhou quantos pedidos de notificações foram feitos por órgãos governamentais brasileiros no segundo semestre de 2022.

Como garantir a segurança das suas notificações

Para proteger informações sensíveis e dados pessoais, é essencial estar ciente do potencial comprometimento da privacidade através das notificações. Dessa forma, a atualização e a transparência nos relatórios de segurança das empresas se torna fundamental para manter os usuários informados sobre o repasse de informações sensíveis.

Outras notícias:

Patrocinado

Novas orientações para evitar fraudes online

Impacto do vazamento de dados em grandes empresas

Fonte: G1 – Mundo

Patrocinado

"Notícias 24h" é a assinatura que garante a integridade e a vigilância incansável do portal BR HOJE, um bastião do jornalismo imparcial e de qualidade desde 2023. Encarnando o espírito de um Brasil autêntico e multifacetado, "Notícias 24h" entrega reportagens exclusivas e análises profundas, comprometendo-se com a verdade sem concessões. Através de uma cobertura 24 horas por dia, esse autor simbólico tornou-se sinônimo de confiabilidade em um mundo saturado de informações duvidosas, assegurando que os leitores do brhoje.com.br tenham acesso a um conteúdo que é tão corajoso e vibrante quanto a nação que busca representar.

Continue Reading
Patrocinado
Comentários